Mesquita Online
Notícias de Mesquita todo dia

Governo Presente: Cláudio Castro defende parcerias para o desenvolvimento do estado

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

PÁGINA INICIAL > IMPRENSA > NOTÍCIAS

Governo Presente: Cláudio Castro defende parcerias para o desenvolvimento do estado

5 de março de 2021

A missão do Governo do Rio de Janeiro para incentivar novos negócios e gerar empregos no estado é investir em infraestrutura e melhorar a legislação tributária. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (05/03) pelo governador em exercício Cláudio Castro, durante visita ao Porto de Itaguaí, no quarto dia do Governo Presente na Baixada Fluminense. Em encontro com empresários, investidores, trabalhadores do local e representantes do município, Castro destacou também as parcerias entre os setores público e privado como ferramentas para o desenvolvimento.

 – Não tenho dúvida nenhuma que, para gerar desenvolvimento aqui no Porto, precisamos melhorar a infraestrutura, incentivar negócios com uma legislação tributária mais simples. São ações que a gente vai fazer para criar empregos. Além disso, se nós conseguirmos caminhar para o lado do diálogo, não tenho dúvida que o nosso estado vai longe – disse ele, que se mostrou surpreso ao saber que foi o primeiro governador a visitar o terminal portuário de Itaguaí.

 

Atualmente, 55,8% da produção nacional de gás natural é proveniente do Rio de Janeiro. Por isso, o Porto de Itaguaí poderá se tornar um dos polos de escoamento dessa produção.

– A perspectiva é de um crescimento ainda mais significativo da produção de gás nos próximos anos, principalmente nos campos do pré-sal. Temos dois grandes desafios, o escoamento da produção e a monetização do grande volume que será produzido, preferencialmente através da chegada de novas indústrias, gerando emprego e renda para a população de nosso estado e aquecendo a cadeia econômica local – afirmou Cláudio Castro.

O governador em exercício lembrou que o Plano Indicativo de Processamento e Escoamento de Gás Natural (PIPE) da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) inclui dentre as alternativas para escoamento de gás, duas rotas (4B e 5C) de gasodutos cujos destinos são o Porto de Itaguaí.

 

– Com localização estratégica, o Porto de Itaguaí já se destaca nacionalmente e internacionalmente como o porto público que mais movimenta minério de ferro no Brasil. O gás ampliará a importância de Itaguaí na economia do Rio de Janeiro, tornando o porto um dos principais polos para escoamento da produção do pré-sal – explicou.

 

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Leonardo Soares, o escoamento da produção do gás do pré-sal, via Porto de Itaguaí, vai requalificar e expandir as competências logísticas do local e acelerar a implantação de novas empresas e indústrias no seu entorno.

– Será possível desenvolver operações e serviços para o setor de óleo e gás. Dentre as atividades já mapeadas, podemos citar, por exemplo, serviços de apoio offshore, transbordo de petróleo e armazenagem e logística de petróleo e derivados, dentre outras – enumerou.

Leonardo Soares destacou que, por determinação do governador em exercício, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico vem buscando caminhos para a monetização do gás natural do pré-sal.

– Com a aprovação da Lei do Gás pela Câmara dos Deputados, passaremos a realizar, de forma mais intensiva, road shows com empresas e investidores nacionais e internacionais, para atrair indústrias de vários setores para o estado – anunciou.

Levantamento da Firjan indica que a aprovação da Lei do Gás pode destravar, nos próximos anos, cerca de R$ 45 bilhões em investimentos em atividades que vão desde o escoamento até o consumo final do gás em plantas industriais no Estado do Rio.

– O gás natural é o chamado combustível da transição energética. Ele representa uma oportunidade concreta de reindustrialização do Rio de Janeiro, a partir da possibilidade de instalação, no Estado, de empreendimentos modernos e de consumo energético intensivo, como petroquímicas, indústria de fertilizantes e enriquecimento de minério, entre outras. Precisamos aproveitar essa janela de oportunidade – concluiu Leonardo.

 

As rotas previstas

A Rota 4B ligaria o polo de produção do pré-sal na Bacia de Santos ao Porto de Itaguaí. Já a Rota 5C ligaria o polo de produção do pré-sal na Bacia de Campos ao Porto de Itaguaí.

 

Acompanhe todas as informações (com releases, fotos e vídeos) atualizadas em tempo real acessando http://bit.ly/GovRJnaBaixada.

você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais