Mesquita Online
Notícias de Mesquita todo dia

Organização Pan-Americana da Saúde visita Mesquita

Receba as matérias da sua cidade em primeira mão no seu smartphone ou tablet. WhatsApp CLIQUE AQUI ou Telegram CLIQUE AQUI

Mesquita recebeu, na última quinta-feira, a visita de dois consultores nacionais de emergência da OPAS/Brasil.  Representantes da Organização Pan-Americana da Saúde, André Siqueira e Paula Maria Raia Eliazar estavam acompanhados pela coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde, Gabrielle Damasceno, e por Fabiane Canellas, técnica da Superintendência de Atenção Básica do governo estadual. A intenção da visita foi verificar como está a rede de Atenção Básica do município e também como é realizado o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus na cidade.

“A nossa ideia é apoiar, verificar os pontos fortes e também trocar experiências. Queríamos ter esse momento com a Saúde de uma cidade da região metropolitana do Rio e a própria Secretaria de Estado de Saúde sugeriu o município de Mesquita. Ficamos bem impressionados com o que vimos, porque a atenção básica está forte e esse comprometimento alegrou a gente”, disse Paula.

As equipes foram recebidas pelo secretário municipal de Saúde, Emerson Trindade, acompanhado dos coordenadores da Atenção Básica, Tayllany Zimmerer; do da Vigilância Epidemiológica, Silvio Diniz; e de Imunização, Sabrina Louroza. Entre outras ações, eles pontuaram a agilidade da Saúde de Mesquita no começo da pandemia, criando o primeiro polo de atendimento exclusivo à Covid-19 do estado, em março de 2020. Além disso, ações como a testagem em massa, monitoramento de pacientes infectados e, agora, acelerando a vacinação da população com as doses encaminhadas pelo governo estadual.

“Se não fossem os investimentos realizados na Atenção Básica, com a abertura de sete clínicas da família em Mesquita, temos a certeza de que teríamos números muito ruins aqui”, disse o secretário.

Durante a conversa, diversos momentos da pandemia foram lembrados. Como o início, em que pouco se sabia sobre a doença e não havia grande oferta de testes.

“Quando tudo começou, o diagnóstico clínico foi fundamental. No nosso polo exclusivo, já encaminhávamos o paciente para, rapidamente, fazer tomografia para verificar a situação dos pulmões. Isso ajudava demais a direcionar o tratamento e a confirmar alguns casos antes do resultado do exame próprio para covid-19”, recordou Tayllany.

Gabrielle Damasceno e Fabiane Canella se mostraram impressionadas com os avanços tecnológicos em Mesquita nos últimos anos. Remotamente, elas conheceram algumas unidades de clínica da família e viram como tudo está informatizado.

“A cidade está bem diferente de 2018, quando estive aqui pela última vez. Vir agora e ver como as unidades de saúde estão, como a Atenção Básica está sendo valorizada, nos deixou satisfeitas”, avaliou Gabrielle.

você pode gostar também
Comentários
Loading...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Nós garantimos que está tudo certo com isso, mas você pode não desejar isso. Aceitar Saiba Mais